Enquete
Qual história bíblica você acha mais interessante?
História de Abraão
História de Moisés
História de David
História da rainha Ester
História de Paulo
Ver Resultados

Partilhe este Site...



Total de visitas: 126878
O dom de linguas
O dom de linguas

Dons espirituais

Quando estudamos a respeito da Divindade (Pai, Filho e Espírito Santo) observamos que cada um possui um papel específico no plano da Salvação. O Espírito Santo é quem o convence de que você é pecador e precisa de um Salvador (João 16:8), assim Ele o guia até Cristo que por sua vez  nos justifica perante o Pai (Hebreus 9:24). O Espírito Santo é quem nos guia e nos leva a praticar todos os ensinos de Cristo. O Espírito Santo também nos enche de poder. Por meio Dele temos acesso a diversos dons espirituais:

"Porque a um pelo Espírito é dada a palavra da sabedoria; e a outro, pelo mesmo Espírito, a palavra da ciência;E a outro, pelo mesmo Espírito, a fé; e a outro, pelo mesmo Espírito, os dons de curar; E a outro a operação de maravilhas; e a outro a profecia; e a outro o dom de discernir os espíritos; e a outro a variedade de línguas; e a outro a interpretação das línguas. Mas um só e o mesmo Espírito opera todas estas coisas, repartindo particularmente a cada um como quer". 1º Coríntios 12:8-11

Fica claro que é o Espírito Santo  quem distribui os dons de acordo com Sua soberana vontade. 

 

O que é o dom de línguas?

Entre os vários dons espirituais existe o dom de línguas. Deus quem decide que dom distribuir à igreja (1º Cor.12:11) e em que época fazer. A bíblia relata em Atos dos apóstolos o uso do dom de línguas.

.A primeira ocasião foi no Pentecostes cujo objetivo era alcançar os estrangeiros que vieram, para poder levar-lhes o evangelho. Ou seja, o objetivo era quebrar a barreira do idioma, para levar o evangelho. Nos outros casos, vemos Pedro com Cornélio (Atos.10:45) e quando Paulo se encontrou com os conversos em Éfeso (Atos.19:5-6). Notamos que o objetivo de falar em línguas era duplo, a saber, convencer os discípulos do genuíno caráter da experiência dos gentios de que Deus os havia aceito e o outro motivo era proclamar o evangelho a outros povos que falavam outras línguas. Notamos na bíblia que o dom de línguas era usado em situações específicas e não como algo comum e rotineiro. Note que o dom de línguas mencionados em Atos, era como um sinal dentre outros. Este dom não veio como conseqüência de uma busca determinada, mas como surpresa (Atos 10:45-46). O dom não era esperado, exigido nem procurado como fazem algumas igrejas. O batismo do Espírito Santo na realidade é um conjunto de situações.

.Frutos do Espírito

O principal ponto a diferenciar aquele que aceita a Jesus como seu salvador é o seu comportamento, seu testemunho. Se era um adúltero, passa a respeitar sua esposa, se era um ladrão, deixa de roubar, se bebia e fumava, deixa de lado o vicio e passa ser um testemunho vivo de que Jesus vive nele, logo o Espírito Santo também nele habita, pois é o Espirito quem convence do pecado  (João 16:8) que é a quebra da Lei de Deus (1º João 3:4) para assim, sentir a necessidade de um Salvador (João 14:15). Lembremos também de Gálatas 5:22-23 onde são mencionados os frutos do Espírito. Sem dúvida ali vemos os principais atributos daqueles que estão cheios do Espírito.

.Vale ressaltar que um dos frutos do Espírito é o domínio próprio (Gálatas 5:23). Em Efésios 4:31 também observamos que dentre outras coisas, a a gritaria entristeçe o Espirito Santo. Será que pessoas supostamente estão "cheias" do Espírito, estão exercendo o domínio próprio? quando começam a cair no chão, gritar, e pular nos cultos?...A bíblia nos mostra que Deus deve ser adorado com ordem, decência e santo temor:

"Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, como em todas as igrejas dos santos". 1º Coríntios 14:33

"Mas faça-se tudo com decência e ordem". 1º Coríntios 14:40

E será que tais manifestações que vemos em muitas igrejas estão de acordo com a bíblia? lembre-se das palavras: ordem, decência e santo temor

.A bíblia nos ensina que o dom de línguas ou qualquer outro dom, é dado por Deus de acordo com Sua necessidade. Não pode ser considerado como o único sinal do batismo do espírito santo pois muitos podem ser cheios do espírito, mas podem não ter recebido o dom de línguas. Podem  ter recebido o dom de curar, de orar, etc... Nosso máximo exemplo – JESUS – em nenhum momento do Seu ministério falou em “línguas estranhas” para provar que era cheio do Espírito

 .O propósito de Paulo em 1º Coríntios. 12:14, não é de proibir dom de línguas, mas visa corrigir o uso incorreto de um dom legítimo. Seu método de tratar o problema é uma discussão dos dons espirituais em geral para que o dom de línguas seja visto num contexto mais amplo de dons como um todo.

                                                                                                                                   

A doutrina dos dons espirituais (I Cor. 12).

 O povo de Corinto devia entender que havia uma variedade de outros dons, mas todos esses dons são  dados pelo mesmo Espírito (12:4-11). Além disso, Paulo insiste que Deus  através de seu  Espírito é soberano em Sua distribuição dos dons (12:11). Conseqüentemente ninguém deve considerar-se inferior porque recebeu um outro dom menos sobrenatural que o de línguas. O tipo de dons que se recebe não é um termômetro de espiritualidade; é antes uma indicação de liberdade e independência do Espírito Santo.

.

.. O controle do dom de línguas (I Cor. 14).

.Havendo discutido sobre os dons em geral (I Cor. 12-13), Paulo focaliza o dom específico que havia causado problemas na igreja. O capítulo 14 regulamenta o uso incorreto do dom de línguas.

.

..a) Edificação (14:1-12): o objetivo dos dons espirituais é para a edificação da igreja, com o dom de línguas é a mesma coisa, deve cumprir o seu objetivo de edificação. Não deve ser falando sem sentido apenas na emoção do culto

b)Interpretação (14:13,27,28): Para que  haja edificação as línguas devem ser interpretadas. Se não houver intérprete o que recebe o dom de línguas deve permanecer calado (v.28). Este regulamento é importante e deve ser observado

c) Todos falando ao mesmo tempo? (14:27-33, 40): A bíblia orienta que não sejam mais do que dois ou três os que  devem falar em línguas,  numa ocasião (reunião), mesmo  assim, não simultaneamente mas um após outro. Aqui também, devemos seguir essas orientações

d) Sinal aos infiéis? (14:21, 22): O dom de línguas era um sinal aos infiéis e não aos fiéis. Não demonstrem sua habilidade de falar aos irmãos, Paulo aconselha aqui, mas reservem aos incrédulos para mostrar-lhes que Deus deu a vocês uma bênção especial que lhes habilita a pregar aos incrédulos na própria língua deles. Na igreja vocês devem profetizar pois é benéfico aos irmãos. A própria bíblia mostra que se todos estiverem gritando e falando línguas ao mesmo tempo, serão chamados de loucos por aqueles de fora que estiverem visitando a igreja (verso 23).  Deus não é louco muito menos sua doutrina, pelo contrário, tudo deve ser feito com ordem e decência (versos 33,40)

e) Proibição ou Controle? (14:39): Paulo não proíbe o uso de línguas. Numa situação confusa em Corinto alguns talvez se sentiram tentados a proibir completamente o uso de línguas, mas a solução de Paulo não é exclusão. É controle do uso.

No controle do dom de línguas fica aparente que Paulo minimizou o dom. Certamente a razão era para reduzir o barulho e desordem na igreja. Mas também o dom foi desvalorizado por Paulo por causa de sua necessidade decadente por volta de 55 A.D., quando I Cor. foi escrito. No tempo dos apóstolos o dom era necessário para poder levar adiante o evangelho, pois naquele tempo certamente o dom mais importante era o de línguas.

f). Nem todos terão o poder de possuir o dom de línguas : (I Cor.12:29-30), ou seja não pode ser considerado  único sinal de conversão. Deus pode achar melhor dar o dom de línguas para uma igreja, mas para outra pode ser  necessário o dom de curar ou o dom de profecia, etc...Não esqueçamos que é Deus que define que dom distribuir para a igreja e quando instituir tal dom

 Cheios do Espirito

.No novo testamento, no livro de Atos dos apóstolos, lemos diversos textos que relatam pessoas cheias do espírito mas não mencionam que falavam em línguas naquelas ocasiões:

 

 4:8 (Pedro perante o Sinédrio)

4:31 (Igreja em oração pela libertação de Pedro)

6:3 (Escolha dos diáconos)

 6:5 (Descrição de Estêvão)

 7:55 (Estêvão perante os líderes judaicos)

9:17 (Imposição de mãos sobre Paulo)

11:24 (Descrição de Barnabé)

13:9 (Paulo perante Elimas)

13:52 (Relato sobre os discípulos)

 .

 Conclusão

Concluímos portanto que o Legítimo dom de línguas é dado por Deus. Mas como a própria bíblia mostra, há critérios para usá-lo. Devemos respeitá-los, pois como a própria bíblia diz, "Com Deus não se brinca". Sabemos que há muitos filhos sinceros de Deus que congregam em igrejas que colocam o dom de línguas como um pré requisito de que a pessoa recebeu o Espírito Santo. Nosso objetivo não é questionar tais doutrinas, mas apenas o levar a reflexão. Leia os textos bíblicos que mostramos nesse estudo com espírito de oração e certamente o Espirito Santo irá mostrar a você a verdade. E para saber se você está congregando em uma igreja cheia do Espirito Santo, e que possui o verdadeiro dom de línguas analise-a usando a bíblia, como mostrado abaixo:

 

- Quem distribui o dom é Deus (1° Cor.12:11)
- A finalidade é quebrar a barreira do idioma, fins missionários (Atos 1:8, 2:8)
- Ao falar em línguas na igreja, que sejam dois ou três e sucessivamente (1°Cor.14:13,27,28)
- Não havendo intérprete, quem fala em língua deve calar-se e falar apenas com Deus, e não a homens(1°Cor.14:28)

- Todos falando em línguas ao mesmo tempo na igreja é mal testemunho (1º Cor.14:23)

;.

videos sobre o tema:

.


.

 Fonte de pesquisa auxiliar: Fernando Chaij, A vitória da igreja na crise final

.

 

.

 

.

 

.

.

 

topo