Enquete
Qual história bíblica você acha mais interessante?
História de Abraão
História de Moisés
História de David
História da rainha Ester
História de Paulo
Ver Resultados



Partilhe este Site...



Total de visitas: 152767
A ciência de Deus
A ciência de Deus

  Pela visão criacionista, a bíblia atesta que Deus criou o Universo

“No princípio criou Deus os céus e a Terra, a Terra porém estava sem, forma e vazia e havia trevas sobre a face do abismo” Gêneses 1:1

“Os céus proclamam a glória de Deus e o firmamento anuncia as obras das  suas mãos” Salmos 19:1-2

“O Senhor com sabedoria fundou a Terra; com inteligência estabeleceu os céus” Provérbios 3:19

A teoria evolucionista do Big Bang atesta que o Universo teria surgido a 15 bilhões anos, mas cientistas comprovaram que há estrelas mais velhas que o próprio Universo! (http://hypescience.com/sera-que-esta-estrela-e-mais-velha-que-o-proprio-universo/) ou seja, essa teoria evolucionista não é infalível

...

...A bíblia e a ciência

É comum nos dias atuais, parte da comunidade científica ou mesmo entre os não cristãos, o argumento que a bíblia e a ciência são opostos que não se atraem, como dia e noite, que nunca se encontram. Mas muitos não entendem que bíblia e ciência são faces diferentes de uma mesma moeda. É necessário entendermos que a bíblia não é um livro científico ou técnico. Ele é um livro teológico, escrito no contexto do oriente médio de mais de 2000 anos atrás, livro com caráter religioso, histórico e que possui princípios morais, orientações na área da educação, justiça, entre outros assuntos, mas especialmente relativas à salvação da raça humana, baseada no plano da salvação em Jesus. Dessa forma, compará-lo a livros de ciência é no mínimo irresponsabilidade.

Todavia, não é pelo fato da bíblia não ser um livro científico, que não iremos encontrar referencias à ciência. Pelo contrário, há várias, incluindo diversas antecipações científicas como mostradas adiante. Na idade média muitos foram mortos pela inquisição romana por defenderem entre outras coisas que a terra não era o centro do universo, que era redonda e que girava em torno do sol, presa no nada. 

.Em 1616, a Inquisição (Tribunal do Santo Ofício) pronunciou-se sobre a Teoria Heliocêntrica declarando que a afirmação de que o Sol é o centro imóvel do Universo era herética e que a de que a terra se move estava "teologicamente" errada,
Galileu Galilei foi um dos cientistas perseguidos na inquisição pois no mundo religioso não aceitavam tal “novidade” (http://pt.wikipedia.org).  

Sem dúvida a idade média foi um período sombrio. Muitos homens e mulheres da ciência foram perseguidos por que parte da liderança da igreja romana, realmente limitados em conhecimentos, tinham a perseguição e morte como código para com aqueles que se levantassem contra eles. Mas felizmente, vivemos em uma época em que podemos expor nossos posicionamentos de forma democrática sem a violência do passado. Assim, há espaço para que todos possam expor aquilo que creem, quer seja criacionismo ou evolucionismo.


Hoje sabemos que muitos dos argumentos de homens da ciência, mortos na idade média, eram reais. Porém, algo que nos chama a atenção de modo especial, é que  2500 anos atrás, quando a astronomia não era tão evoluída, alias muitos séculos antes desses grandes  cientistas fazerem essas descobertas, a bíblia já mostrava conceitos científicos. É claro que sem o uso de linguagens técnicas, veja:

 

“O norte estende sobre o vazio; e suspende a terra sobre o nada” Jó 26:7

Conceito: vácuo
Observação: Moisés vivia no Egito e naquele tempo, os estudiosos, astrônomos e cientistas
Tinham uma outra visão e diziam que a Terra era plana e sustentada por 5 colunas...por que Moisés não registra a teoria científica dominante que era usada no seu tempo?

“Ele é o que está assentado sobre o círculo da terra” Isaías 40:22

Conceito: Terra redonda
Observação: texto foi escrito 2500 anos antes de Colombo, Galileu e Copérnico. A esfericidade da Terra também foi provada apenas em 1522, com a circunavegação de Fernão de Magalhães (http://www.mapas-historicos.com/terra-redonda.htm)

“Quando deu peso ao vento, e tomou a medida das águas” Jó 28:25
Conceito: Pressão atmosférica
Observação: O barômetro só foi criado em 1643 por Torricelli

“A Terra  se modela [do hebraico haphak=girar] como o barro debaixo do selo...” Jó 38:14
Conceito: Rotação da Terra
Observação: Até a idade média, achava-se que a Terra era o centro do universo e que ficava estática

fonte: série Origens, Michelson Borges

 

.As digitais de um Criador

O Astrônomo Carl Sagan famoso pelo livro Contato, que virou filme, era um apaixonado evolucionista que acreditava na geração espontânea. Ele estava absolutamente convencido que uma simples sequencia de números primos prova a existência de vida inteligente...

 Mas o próprio Sagan escreveu:

 “A informação contida no cérebro humano expressa em bits é provavelmente comparável  ao número total  de conexões entre  os neurônio – cerca de 100 trilhões de bits. Se fosse escrita em inglês, por exemplo, essa informação encheria 20 milhões de volumes, o equivalente em volume  ao acervo das maiores bibliotecas do mundo! O equivalente a 20 milhões de livros está dentro da cabeça de todos nós!. A neuroquímica do cérebro é extremamente ativa. É o circuito de uma máquina maravilhosa” (cosmos pag.278).

Por que Carl Sagan achou que a mensagem simples expressa em números primos exige uma inteligência, ao passo que um volume de 20 milhões de livros não?
Se seres humanos inteligentes não podem criar coisa alguma próxima do cérebro humano, como achar que o acaso poderia criá-lo?

.
Muitos cientistas reconhecem a existência de Deus

 

Albert  Einstein (1879-1955)

Einstein

..

A experiência cósmica religiosa é a mais forte e a mais nobre fonte de pesquisa científica.
        Minha religião consiste em humilde admiração do espírito superior e ilimitado que se revela nos menores detalhes que podemos perceber em nossos espíritos frágeis e incertos. Essa convicção, profundamente emocional na presença de um poder racionalmente superior, que se revela no incompreensível universo, é a idéias que faço de Deus.”
Em 1921, quando perguntado pelo rabino H. Goldstein, de New York, se acreditava em Deus, Albert Einstein, físico alemão de origem judaica, que dispensa apresentações, respondeu: "Acredito no Deus de Spinoza, que se revela por si mesmo na harmonia de tudo o que existe, e não no Deus que se interessa pela sorte e pelas ações dos homens. Nessa mesma ocasião, muitos líderes religiosos diziam que a teoria da relatividade "encobre com um manto o horrível fantasma do ateísmo, e obscurece especulações, produzindo uma dúvida universal sobre Deus e sua criação"

Citado em Golgher, I. O Universo Físico e humano e Albert Einstein, B.H: Oficina de Livros, 1991, p. 304

 


Isaac Newton

Isaac Newton

.

Famoso por suas pesquisas científicas, na realidade escrever mais sobre religião do que sobre ciência. Tem diversos escritos sobre as profecias do apocalipse e Daniel

É certo que em apenas um estudo não é possivel mostrar todas as evidências da existência de Deus. Mas muitos são os fatos que atestam sermos frutos de um Criador inteligente. Com o tempo disponibilizaremos mais materiais

Perguntas e respostas sobre criacionismo (fonte: www.criacionismo.com.br)

1. O que foi criado no primeiro dia da semana da criação?


Deus disse, "Haja luz." (Gênesis 1:3). A Terra era escura anteriormente (Gênesis 1:2). No primeiro dia Deus fez com que a Terra fosse iluminada. Isto não significa que a luz não existisse antes deste tempo porque a presença de Deus é associada com a luz (Apocalipse 22:5). Não é necessário supor que o fenômeno físico da luz tenha sido criado naquela ocasião, mas a Terra anteriormente escura foi iluminada. Uma possível explicação para a luz é que Deus pessoalmente e fisicamente veio a esta Terra, sendo a causa da iluminação. Se é assim, como podia se tornar escura de novo ao anoitecer? Talvez a rotação da Terra produziu o dia e a noite em partes diferentes da Terra, assim como acontece hoje.

Outra explicação possível para a luz é que o sistema solar já existisse antes da semana da criação, mas a luz era impedida de chegar à superfície da Terra. A Terra desta época pode ser comparada com Vênus, onde uma atmosfera espessa obscurece a luz do sol. No primeiro dia, a atmosfera foi clareada o suficiente para permitir que a luz atingisse a superfície da Terra. Talvez a luz fosse produzida por outra fonte, tal como uma supernova.
.
2. O que foi criado no quarto dia da semana da criação?

Disse também Deus: "Haja luzeiros no firmamento dos céus, para fazerem separação entre o dia e a noite;..." Dois grandes luzeiros são descritos, um para governar o dia e um para governar a noite. Estas luzes apareceram no quarto dia da semana da criação. Não são apresentados os detalhes. Eles podem ter sido criados naquele dia. Se assim for, a luz dos primeiros três dias pode ter sido provida pela presença de Deus.

Se nosso sistema solar já existia antes da semana da criação, como alguns criacionistas acreditam que seja possível, então aparentemente o próprio sol não era visível até o quarto dia. Isto poderia ser explicado devido a uma cobertura atmosférica de nuvens, permitindo que a luz difusa alcançasse a superfície, mas não revelando a fonte da luz. No quarto dia, talvez a atmosfera tenha sido clareada para permitir que o sol e a lua fossem visíveis pela primeira vez.

Outra interpretação possível é que o sol e a lua existissem antes deste tempo, mas no quarto dia foram "designados" para funções específicas relativas à Terra.

A frase "e fez também as estrelas" não requer que Deus tenha criado as estrelas ex nihilo no quarto dia da criação. Alguns criacionistas têm defendido que todo universo, ou pelo menos a porção visível, foi criada no quarto dia. O texto permite esta leitura, mas não a exige. "E fez também as estrelas" é apenas uma frase parentética na qual Deus é identificado como o criador das estrelas sem identificar quando isto foi realizado. O texto parece permitir a interpretação de que as estrelas já existiam anteriormente, talvez com planetas habitados por outras inteligências criadas.2
.
3. Por que a seqüência dos dias da criação não se ajusta à seqüência do registro fóssil?

A seqüência da criação de acordo como o Gênesis inclui o seguinte: 1) plantas terrestres, incluindo árvores que dão semente; 2) criaturas voadoras (tais como aves) e criaturas aquáticas (tais como peixes e baleias); 3) criaturas terrestres (tais como répteis, mamíferos e seres humanos). No registro fóssil, a seqüência é rearranjada da seguinte forma: 1) peixes; 2) répteis terrestres; 3) répteis voadores; 4) mamíferos terrestres; 5) aves; 6) árvores frutíferas; 7) baleias; 8) seres humanos. A seqüência dos fósseis não se ajusta à seqüência da criação porque o registro fóssil é um registro de morte e não um regristro da criação da vida. O registro fóssil foi produzido após a semana da criação. Não havia nenhum processo de fossilização entre os dias da criação.
.
4. Podem os dias da criação realmente representar períodos de mil anos cada, como sugerido em II Pedro 3:8?

Fazer os "dias" da criação iguais a mil anos não ajuda explicar o texto. A seqüência fóssil não se ajusta à seqüência da criação. A vegetação foi criada antes das criaturas marinhas, mas aparece depois no registro fóssil. As aves foram criadas antes dos répteis, mas aparecem depois deles no registro fóssil.

Se imaginamos os mil anos como tendo uma única “tarde e manhã”, cada noite teria ocupado aproximadamente a metade deste tempo, ou 500 anos. A vegetação não poderia sobreviver a 500 anos de escuridão. Se considerarmos os mil anos como anos comuns, isto não resolve a suposta idade dos fósseis, de milhões de anos. Qualquer tentativa de fazer os "dias" da criação iguais a mil anos nada adianta para resolver as questões científicas.3
.
5. Poderiam os "dias" da criação representar períodos indefinidos de tempo?

No Gênesis, os "dias" da criação são numerados de 1 a 7, indicando uma seqüência. Eles consistem de "uma tarde e uma manhã" -- um período escuro e um período de luz. O processo de criação descrito é por comandos -- criação pela palavra. A linguagem parece claramente indicar dias comuns. Um teste para saber se esta interpretação é correta é determinar se os "dias" são usados para defender uma idéia em outros lugares na Bíblia. Na realidade são. Em Êxodo 20:11 e 31:17, os dias da criação são usados como a base para a observância do Sábado, o sétimo dia. A interpretação dos dias da criação como dias literais é apoiada pela ocorrência do Sábado como um dia literal em uma semana de sete dias literais.

Interpretar os "dias" da criação com sete períodos de tempo indefinidos não ajuda. A seqüência de eventos no Gênesis não ajusta se ao registro geológico. Se os dias não são literais, a seqüência de eventos certamente não é literal, e o processo de criação instantânea por comandos não é literal também. Se o Gênesis não descreve precisamente a seqüência de eventos ou o processo envolvido, então não faz sentido tentar achar significado nos sete períodos de tempo.
.
6. A semana da criação ocorreu há 6.000 anos atrás?

A Bíblia não fornece a data da criação. Ela contém dados cronológicos e genealógicos que sugerem que a criação ocorreu há cerca de 6000-7500 anos atrás, dependendo de qual versão antiga é usada. Alguns criacionistas concluíram que os dados cronológicos bíblicos são essencialmente completos, e a criação ocorreu há cerca de 6000 anos. Outros criacionistas não estão convencidos de que os dados bíblicos são completos, e aceitam uma certa extensão do tempo, desde que o caráter da história da criação não seja alterado. Retroagir a criação e o dilúvio por uns poucos milhares de anos fará pouca diferença teológica, mas retroagir milhões de anos irá implicar que os humanos têm se aperfeiçoado ao longo do tempo. Isto é contrário à mensagem da Bíblia. Portanto, a maioria dos criacionistas bíblicos irá insistir que o tempo da criação do Gênesis seja medido em milhares mas não milhões de anos.
.
7. Como Caim encontrou uma esposa se não haviam outros seres humanos na Terra antes da semana da criação?

Adão e Eva tiveram muitos filhos, de ambos os sexos (Gênesis 5:4). A Bíblia em geral não menciona os nomes de filhas, mas elas estavam presentes. Sem dúvida, Caim casou-se com uma irmã. Isto não iria causar problemas genéticos entre pessoas criadas tão recentemente. O acúmulo de mutações deletérias desde aquele tempo tem tornado os casamentos entre parentes bastante inconvenientes, devido à probabilidade aumentada de nascerem descendentes geneticamente defeituosos. Abraão aparentemente casou-se com uma meia irmã (Gênesis 20:12). Isto sugere que casamentos entre familiares eram socialmente aceitos na época de Abraão.
.
8. Por que Gênesis 1 e 2 apresentam relatos diferentes da criação?

Alguns acham que os dois relatos de criação são contraditórios, enquanto outros afirmam que os dois relatos são complementares. A interpretação de complementaridade sugere que a semana da criação é apresentada esquematicamente em Gênesis 1, terminando em Gênesis 2:4. Gênesis 1 preocupa-se com a cronologia da criação, enquanto Gênesis 2 é uma ampliação da criação dos seres humanos e seu lar no Éden. Gênesis 1 introduz a universalidade da criação, enquanto Gênesis 2 provê a abertura das histórias da experiência humana contadas no resto do livro. A linguagem dos dois capítulos pode ser interpretada como conflitante por alguém que desejar assim fazer, mas a linguagem não requer este conflito.

Videos sobre o tema para auxiliá-lo nos estudos

Video 1: Palestra do Dr. Walter Veith, professor de Zoologia que cria no evolucionismo, mas que se converteu e hoje faz palestras mostrando através da ciência e da bíblia, a existencia do Criador e defendendo o Criacionismo.

 


 

Video 2: Palestra do Dr. Veith sobre Criacionismo x Evolucionismo

 

Video 3: Isaac Newton, um cientista da fé

Video 4: O dilúvio de gêneses, da série origens da vida do jornalista Michelson Borges

topo